domingo, 27 setembro, 2020
Saúde

Transtornos alimentares podem causar problemas bucais

35visualizações

Desnutrição e excesso de vômitos, sintomas comuns de pessoas que sofrem de anorexia ou bulimia, podem causar problemas bucais como: sapinho, desgaste do dente e sensibilidade dental.

Os transtornos alimentares, como a anorexia e a bulimia, são distúrbios graves e podem indicar problemas físicos e psicológicos. Além disso, também podem causar doenças bucais como sapinho, problemas de saliva, cárie e sensibilidade dental. O fato de esses transtornos estarem ligados ao excesso de vômitos provocados pela paciente, que sente culpa por comer, faz com que, várias vezes ao dia, os dentes entrem em contato com o ácido clorídrico presente no suco gástrico, que possui um pH extremamente ácido.

“O excesso de vômitos e a desnutrição, que pode variar de leve a severa, características muito comuns desses pacientes, podem causar desgaste da parte interna do dente, voltada para o céu da boca, candidíase oral (fungo que se desenvolve na boca quando o sistema imunológico está fraco), sapinho, sensibilidade a alimentos líquidos gelados e ainda, em alguns casos, fortes dores na face“, diz Camila Vieira Esteves dos Santos, cirurgiã-dentista.

Não é de hoje que hábitos alimentares inadequados causam uma série de problemas para a saúde, inclusive a bucal. A falta de algumas vitaminas pode causar a chamada anemia ferropriva que se caracteriza pela língua pálida e lisa (língua careca) devido a atrofia das papilas linguais que favorece a instalação de infecções. “Outro problema observado em casos mais graves é o escorbuto, causado pela deficiência de vitamina C, que causa o aumento do volume da gengiva e seu sangramento”, diz Camila.

Nos casos de problemas bucais causados por transtornos alimentares, o tratamento recomendado é o multidisciplinar. “O apoio de nutricionistas, psicólogos e médicos é de extrema importância para se alcançar os objetivos propostos em cada caso. O tratamento odontológico deve estar em sincronia com o tratamento médico, para se adequar o que fazer e quando fazer”, diz a especialista.

Recrutamento para a pesquisa

Camila está desenvolvendo sua pesquisa de mestrado voltada para esses pacientes. Para isso, ela e sua equipe estão recrutando trinta pessoas com Transtornos Alimentares previamente diagnosticados. “Queremos entender em detalhes como, quando e quanto a doença afeta a saúde e a autoestima dos doentes e, com isso, delinear estratégias mais eficientes para se obter uma melhor qualidade de vida para os pacientes”, diz.

Todos os pacientes que participarem do estudo terão o tratamento odontológico básico realizado (com exceção de próteses extensas, implantes e tratamentos ortodônticos).

Gostou da matéria? Então deixe um comentário!

Deixe um comentário