quinta-feira, 24 setembro, 2020
Bem-EstarClinica GeralSaúde

Endometriose: Quais os sintomas e como fazer o diagnóstico

66visualizações

Você já ouviu falar em endometriose? Conhece os sintomas dessa doença que atinge uma a cada seis mulheres em período reprodutivo e pode levar à infertilidade? Então, continue lendo e saiba quais cuidados tomar em caso de diagnóstico dessa enfermidade.

A endometriose ocorre quando células do endométrio, tecido que reveste a parede interna do útero, se acumulam nas cavidades abdominais. Ou seja, ao invés de serem expelidas durante a menstruação, essas células migram para outras partes do corpo. 

Geralmente, as cavidades mais atingidas são as pélvicas, como ovários, trompas, intestinos, peritônio e etc. Mas em casos mais graves, o endométrio pode atingir diafragma, pleura e até os pulmões.

Sintomas da endometriose

Os sintomas da endometriose variam de acordo com a área atingida e, na maioria dos casos, se agravam durante o ciclo menstrual.

Dores pélvicas intensas, dores durante as relações sexuais com penetração profunda, alterações intestinais, dores para urinar e evacuar, diarreia, constipação e infertilidade podem ser sinais da doença. Fique alerta! 

Mas a melhor maneira de identificar a doença é procurando um médico especializado, pois o diagnóstico não é tão simples.

O ultrassom transvaginal que as mulheres fazem regularmente pode deixar passar focos da doença. Cada tipo de endometriose requer um diagnóstico específico.

Mas, em geral, o ultrassom intestinal é capaz de identificar a maioria do casos. Já a ressonância magnética pode diagnosticar casos mais graves.

Tipos de endometriose

Como já dissemos, existem diversos tipos de endometriose. Cada um deles atinge uma parte do corpo e requer tratamentos diferentes.

Confira abaixo os principais tipos:

Endometriose superficial

Atinge principalmente o peritônio, tecido que reveste os órgãos da cavidade abdominal e pélvica internamente. Geralmente, o tratamento é mais simples que nos demais casos.

Endometriose no ovário

Pode provocar a formação de cistos nos ovários. Nesses casos, a mulher pode correr o risco de ficar estéril.

Endometriose profunda

É um dos tipos mais graves. Como o próprio nome sugere, ocorre quando as células endometriais se infiltram na parede de um órgão. Por isso, dependendo do avanço da doença, requer intervenção cirúrgica imediata. 

Endometriose de parede

Ocorre na parede abdominal, geralmente em áreas que já passaram por cirurgia, como por exemplo em mulheres que se submeteram à cesariana. 

Endometriose pulmonar

É bastante rara. Essa forma da doença ocorre quando as células endometriais se desenvolvem na região dos pulmões. Um sintoma da endometriose pulmonar é o sangramento das via aéreas durante o período da menstruação. 

Gravidez e infertilidade

Ao contrário do que muitas pensam, a endometriose não impede a gravidez. Algumas mulheres até têm dificuldade para engravidar após serem diagnosticadas com a doença. Mas na maioria dos casos mais leves isso não é um problema. 

Em todo caso, é necessário o acompanhamento de um médico especializado para evitar chances de aborto ou de parto prematuro.

Já em casos mais avançados da doença, pode, sim, levar à infertilidade.

Cuidados e tratamentos

Existem alguns medicamentos para controlar a dor e retardar o avanço da endometriose. Mas em alguns casos, é recomendada cirurgia para extrair as áreas afetadas ou a histerectomia, retirada dos ovários.

Já a terapia hormonal e a laparoscopia pélvica podem diminuir os sintomas por anos ou até mesmo para sempre. 

Mas se você quiser diminuir as dores da endometriose em casa existem algumas dicas.

Uma bem simples é tomar banhos quentes e colocar bolsas de água quente na área afetada. Além disso, alguns analgésicos também podem aliviar as dores. Por fim, exercícios físicos também ajudam a amenizar os sintomas. Mas, em caso de suspeita da doença, não deixe de procurar um médico especializado.

Deixe um comentário